quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Sobre o agora...


















Em meio à estrada

Quando na estrada o sentimento nos acha
Corre, de certo, pra dentro um pouco de nós
Tímido e cheio de incerteza
Duvida da vida
Vela a partida indesejada
Imaginada como a justa medida

Mas é corrida sem chegada
Busca indefinida
Ciclo de círculos sem medida
Fuga do costume de ser sozinho
Partida para a casa do vizinho
Temendo como será na entrada

E de nada adianta a falsa coragem de subir
É preciso pensar em descer pelo caminho do conquistar
Para então alcançar o gostar
E lá bem à frente o tão temido querer épico
Sonho dos poetas
Delírio dos apaixonados
Desperdiçado pelos ingratos
Eternamente desejado
Enclausurado ao peito
Nos achados e perdidos.

(HCQF/dez-2011)

E agora lembrei do que diz Adele em "Hiding my heart away":

“I woke up feeling heavy hearted
I'm going back to where I started
The morning rain
The morning rain
Now though I wish that you were here
That same old road that brought me here
Is calling me home
Is calling me home
I wish I could lay down beside you
When the day is done
And wake up to your face against the morning sun…”
(Hiding My Heart Away - Adele)

“Eu acordei sentindo o coração pesado
Vou voltar para onde eu comecei
A chuva da manhã
A chuva da manhã
Agora, apesar de querer você aqui
Aquela mesma velha estrada que me trouxe aqui
Me chama para ir para casa
Me chama para ir para casa
E eu gostaria de poder deitar ao seu lado
Quando o dia acabasse
E acordar com seu rosto sob o sol da manhã...”
(Adele)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Sobre a espera...



















Avesso da perenidade

Algumas vezes
Um sentimento intermitente
Reaparece caudaloso.

Parecendo certeza
Esfumaça a vista
Fecunda a esperança
E deságua...

Ao logo da via
Carrega-se de expectativa
Visita moradas
Em busca da casa definitiva
Firma-se
Mas desapropria...

Desaparece na neblina
Escorrega feito cascata
Corre entre pedras
Vira pedaço a espera
E perecível
Seca.

(HCQF/nov-2011)

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sobre acordar












Vícios

Não devia ter feito!
Carreguei no peito este desejo
Poderia ter corrido
Me afastado do sentimento sentido
Cedi à dor

Sofro um sentimento descabido
Sem razão, sem compromisso
Desencontrado
Cheio de vícios

Preciso encontrar-me com meu juízo
Rever meus novos conceitos
Refazer antigos preconceitos
Por proteção, auto-ajuda, respeito comigo

(HCQF/out-2011)

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Coração/ Coragem / Saudade/Liberdade



Apaixonados

Em um dia comum, um homem correu o risco de se liberta de suas convenções e amou. Nada de anormal.
Alguns dizem que sempre chega a hora de se encontrar com esse sentimento, ás vezes temido, ás vezes perseguido, contudo, difícil de ser vivenciado sem dor...
Corria por estradas inesperadas. Enquanto por ela esperava a imaginação fluía, passagens trágicas em sua mente apareciam. E nada de sua amada...
Chegando a hora marcada, com sua querida se encontrou. Era ela, mesmo, a tão esperada moça que seu sonho povoou pela madrugada...
O coração parecia querer sair do peito... Batidas alteradas... Emoção... Calor...
Naquela hora ele pensava em qual seria o motivo dele não ter sentido aquele arrepio gostoso antes... Perguntava-se, incessantemente, das coisas que o fazia se sentir fora de si. Com vontade de cair nos braços daquela dama...
Era ela então, a escolhida por seu coração.
(...)
Enquanto isso, a menina se fazia mulher desde a saída de casa. Querendo de algum jeito se sentir mais segura... Dava medo só de pensar na face que lhe aguardava.
Para ela, não era a primeira vez que o frio atingia suas entranhas. Embora, fosse a primeira vez, que algo mais lhe atingia a mente: a espera desgarrada por sentir o abraço esperado enquanto a noite passava...
Em meio à caminhada, perna bamba, desesperada, pensava: como queria que a reação de seu amado estivesse carregada de desejo, carinho. Em polvorosa estava...
Queria ver no rosto do rapaz mais do que a expressão pode mostrar. Queria ver os impulsos nervosos em sua conexão rápida a selecionar seus atos mais sutis...
Chega a hora do encontro... Nada mais a atormenta... Era ele, seu príncipe encantado, parado como que chamando calado seu nome no vento...
(...)
Quantas coisas passam na cabeça dos apaixonados nos instantes que antecedem o encontro tão sonhado... Um enredo que construiu milhares de filmes românticos, trágicos ou não. Presentes nas poesias de leste a oeste do mundo. Carregados do desejo de emoldurar de alguma forma aquele tão incontrolável sentimento.
Talvez a paixão seja o tormento do ser humano, o que lhe faz sofrer em vão. Faz-lhe ficar pequeno, como criança. Perder a noção do perigo de não saber o fim da estrada...
Gostoso ou não, é bom preparar o coração pra sua chegada...
(HCQF/out-2011)

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Sobre amar e viver...















Sobre amar e viver...


Outro dia pensando no amor
Pensei em não pensar
Melhor seria!

Vislumbrei uma vida fria
Corri na estrada da apatia
De nada adiantou!

Acordei pela manhã e a correria
Que me assusta todo dia
Não me distraiu
Me condenou.

Nas ruas pensando ia
Vagando por entre a gente sorria
Carregando lembranças com agonia
E dor.

Perdi o sono e a noite lia
Versos ultra-românticos com nostalgia
Linhas intermitentes, mas perenes de desejos
De alguém que por medo o amor guardou.

(HCQF/agos-2011)

sábado, 30 de julho de 2011

Sobre recomeçar...




















Lição inicial
_*_*_*_*_*_

Comecei uma nova jornada
Bati em retirada
Da prisão em que me encontrava

Ao longo da caminhada
Já desacostumada
A liberdade, outrora confiscada
Tal pássaro sem reconhecer a própria asa
Vaguei por entre a madrugada
Perdida
Tendo a lua como amiga
E a alma desnorteada

Recomeçar a vida
Desacordada
Pelas batalhas perdidas
Não tira o peso das pegadas
Mas faz do vencedor antagonista
E o perdedor uma águia
Descobrindo o bater das asas
Amanhecendo para a própria vida

(HCQF/jul-2011)

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Saudade de postar!!!

Para não esquecer quem sou
E que neste espaço me encontro
Aos poucos
Mais bem de perto...








Preciso vir aqui mais vezes
senão morro de saudade!!!!

Beijos
HCQF

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Ah, a saudade!




Esses dias... Pensando na vida, lembrei do amor. E que ás vezes parecem ser a mesma coisa, principalmente quando se está diante do amado (a).

Escutando Maria Gadu e Vanessa da Mata, li coisas do amor que nem sabia...
Não sabia que:
“Mas então seu amor não é meu
Nem eu o seu
Pois então que será meu amado
Amador?”
(Vanessa da Mata – Ela X ele na Cidade sem fim)

Pena, ás vezes o amor parece amador, sem cuidado, sem responsabilidade... Como uma criança travessa, um adolescente rebelde...

Ainda bem que a espera é um jeito de amar, pois tal qual o amor, não se basta em si...Virá busca de ser feliz pra se encontrar com amado feliz, inteira.
Isso se parece com amar: se preencher.
Não o se afogar no outro até se encher e dizer: chega!
Não. Mas sim o transbordar de afeto. Ser generoso com o mundo por entender-se grato pela dádiva de amar.

Conheço pouco do amor. Talvez dissesse que não quero conhecê-lo, mas vivê-lo. Contudo não é bem o que sinto. Sinto que quero reconhecer o meu jeito de amar, porque acredito que o sentido do amor não está em ser amado, mas em amar. E aí se percebe toda alegria de se estar vivo, mesmo sendo contemporâneo de agruras, rachaduras e cicatrizes do tempo.
(HCQF/maio-2011)







Ouço Mª. Gadu cantar em Aurora de Dani Black:

“Sendo assim
Sem demora pra me sentir
Como agora
Tão sem fim
Tão melhor, o maior sobre mim
Tão feliz que sou
Só resta a mim cantar o amor.”
(Aurora - D. Black)

Abraço bem grande e cheio de saudades...

sábado, 7 de maio de 2011

Para a flor mais bela!


Minha flor meu bêbe/ Cazuza

dizem que eu sou louco por te querer assim
por pedir tão pouco
e me dar por feliz
em perder noites de sono
só pra te ver dormir
e me fingir de burro pra você sobressair

dizem qu eu tô louco
e você manda em mim
mas não me convencem, não
que seja tão ruim

que prazer mais egoísta
o de cuidar de um outro ser
mesmo se dando mais do que se tem pra receber
e é por issso que eu te chamo
minha flor meu bêbe (2x)

dizem qu eu tô louco
e falam pro meu bem
os meus amigos todos
será que eles me entendem
que quem ama nesta vida
ás vezes ama sem querer
que a dor no fundo esconde
uma pontinha de prazer
e é por issoa que eu te chamo
minha flor meu bêbe (6x)

OBS: com problemas na net,
morrendo de saudades,
espero que se resolvam logo os meus problemas...
beijos

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Da janela...



Cada um sabe da força que tem...
Na leveza e na doçura de ser feliz. - Vanessa da Mata)



Nunca deixe que lhe digam que não vale apena acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos nunca vão dar certo ou que você nunca vai ser alguém
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Mas um dia a gente aprende...
Confie em si mesmo... (Renato Russo)




















Nossa história, não estará pelo avesso assim sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás apenas começamos - Renato Russo


Falando de Vida e sonho, novamente me vejo escrevendo...


EM BUSCA DE UM SONHO

Na janela da alma
Começo a olhar
O desejo profundo de sonhar
~*
Sonhar com o amanhecer
Não do dia
Mas do viver
~*
Olhei pela porta
E meus olhos não puderam ver
Era o medo de alcançar
Então, porquê?
~*
Porque sonhar dói
É espera
É labuta
Sofreguidão
Batalha de coração com coração
~*
Onde se tenta convencer
A si mesmo
Que pode sim vencer
Que a esperança caminha lado a lado com a dor
Mas não se sangra
Apenas se cresce
~*
E crescer é despetalar a flor dos dias
Mas cada pétala que cai seca
Pode ser semente
E de repente fazer florescer
A vitória de um destemido ser
~*
Nascido há poucas horas
No fim da batalha
Ao amanhecer da própria alma
Para a certeza de viver
No mundo onde
Se pode enfim adormecer para o medo de perder.
(HCQF/fev-2011)

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Sobre sonhar...




Outro dia pensado em batalhas, em lutas, em viver e por isso tudo em sonhar. Fiz um texto/poema. Vim compartilhar...

FIAR/TECER: SONHAR

O que falar no momento em que se acha que o tempo é seu inimigo?
Como justificar-se diante de uma derrota derradeira, certa?
Acreditando!
E primeiramente, o que vem a cabeça: a dor, as noites mal-dormidas, as horas de angustia, espera, tarefas árduas, sofridas.
Tinha que ser assim?
Não!
Mas tudo no final faz sentido... Faz sentindo não ter dormido...
Faz sentido ter chorado... Os dias de solidão...
Tudo tem uma explicação!
Todo dia tecemos um pedaço do tapete da vida.
Num dia do tear nascem flores.
No outro o fiar te enfia uma farpa na mão.
Em outro, o sufoco do erro na costura... O trabalho duro a fio em vão...
Até que um dia a imaginação revela medos.Surgem monstros, ratos, figuras com a face do medo, do sofrimento, da morte.
Até que a fiação encontra outra direção e transforma essa cena de terror em um jardim com fadas, anjos e amores.
O tapete só está pronto no fim da vida, por isso não tenha pressa de descobrir que figuras seu tapete terá por fim.
Procure tecer traços lindos em seu tear.
Pense em coisas boas, é seu pensamento que vai lhe guiar a tecer e fiar.
Não procure o que lhe causa medo, descubra um sonho e comece a tecer fios de esperança em sua vida.
(HCQF/jan-2011)

Beijos

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Sobre memórias e Amores




Sobre Memórias

Memória é onde se guardam coisas do passado.
Há dois tipos de memórias: memórias sem vida própria e memórias com vida própria.
As memórias sem vida própria são inertes. Não têm vontade. Sua existência é semelhante à das ferramentas guardadas numa caixa. Não se mexem. Ficam inertes nos seus lugares à espera... à espera de que a chamemos...
As memórias com vida própria, a o contrário, não ficam quietas dentro de uma caixa. São como pássaros em vôo. Vão para onde querem. E podem chamá-las que elas não vêm. Só vêm quando querem. Moram em nós, mas não nos pertencem. O seu aparecimento é sempre uma surpresa. É que nem suspeitávamos que estivessem vivas!
“Alma” é o nome do lugar onde se encontram esses pedaços perdidos de nós mesmos. São partes do nosso corpo como as pernas, os braços, o coração. Circulam em nosso sangue, estão misturadas com os nossos músculos. Quando elas aparecem o corpo se comove, ri, chora...
Para que servem elas? Para nada. Não são ferramentas. Não podem ser usadas. São inúteis. Elas aparecem por causa da saudade. A alma não tem o menor interessa no futuro. A saudade é uma coisa que fica andando pelo tempo passado à procura dos pedaços de nós mesmos que se perderam...
A saudade não conhece o tempo. Não sabe o que é antes nem depois. Tudo é presente...
(Rubem Alves – O velho que acordou menino: infância / Sobre Memórias)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Ah, a lembrança!

Ganhei de presente da Zil (blog rEcOmEçAr) 8 selos lindos: amei!
Grata Zil, visito seu blog, por que adoro e você ainda me presenteia de uma maneira tão linda: muito obrigada!
Agora vou dar continuidade a essa corrente de gentileza e completar algumas frases interessantes e indicar 10 blogs que acredito merecerem esses lindos selos...

~* Sobre a vida*~
~* Com o que sonho:




~* No pensamento:
- Freud: “Não somos apenas o que pensamos ser.
Somos mais; somos também, o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos;
somos as álavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos, ‘sem quere’.”

~* Medo:
- Perder quem amo

-~*Um livro que você leu e ficou sonhando:
- O Velho que acordou menino: infância (Rubens Alves)

~* Melhor amigo:
- Deus

~* Escutar e sonhar:

- Sonho de uma flauta - (O Teatro Mágico)
Nem toda palavra é
Aquilo que o dicionário diz
Nem todo pedaço de pedra
Se parece com tijolo ou com pedra de giz
*
Avião parece passarinho
Que não sabe bater asa
Passarinho voando longe
Parece borboleta que fugiu de casa
*
Borboleta parece flor
Que o vento tirou pra dançar
Flor parece a gente
Pois somos semente do que ainda virá
*
A gente parece formiga
Lá de cima do avião
O céu parece um chão de areia
Parece descanso pra minha oração
*
A nuvem parece fumaça
Tem gente que acha que ela é algodão
Algodão as vezes é doce
Mas as vezes é doce não
*
Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Ah e o mundo é perfeito
Hum e o mundo é perfeito
E o mundo é perfeito
*
Eu não pareço meu pai
Nem pareço com meu irmão
Sei que toda mãe é santa
Mas a incerteza traz inspiração
*
Tem beijo que parece mordida
Tem mordida que parece carinho
Tem carinho que parece briga
Tem briga que aparece pra trazer sorriso
*
Tem sorriso que parece choro
Tem choro que é por alegria
Tem dia que parece noite
E a tristeza parece poesia
*
Tem motivo pra viver de novo
Tem o novo que quer ter motivo
Tem aquele que parece feio
Mas o coração nos diz que é o mais bonito
*
Descobrir o verdadeiro sentido das coisas
É querer saber demais
Querer saber demais
*
Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Mas o sonho
Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Ah e o mundo é perfeito
Mas o mundo é perfeito
O mundo é perfeito...
(Inspirada nas poesias de Mário Quintana)

~* Pra ter sorte:
- Oração

~* Pesadelo:
- Não sonhar


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨~*8i8*~¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨


~*Presente: selinhos. :*


Regras: - completar algumas frases interessantes.
- indicar 10 blogs que julgue merecer os selos.

~*FRASES*~
~* Conte um sonho que você tem:

~* Uma frase que te veio agora na cabeça:

~* Seu maior medo:

-~*Um livro que você leu e ficou sonhando:

~* Seu (sua) melhor amigo:

~*Uma música que te faz sonhar:

~* Você tem um amuleto?qual é?

~* Conte um sonho que você teve e ficou com medo:


~* Blogs indicados *~
~*Hilda: Asas que ultrapassam (http://asasqultrapassam.blogspot.com/)

~* Laísa: Bordando sonhos (http://sonhosabordo.blogspot.com/)

~* Rêbeca e JC: Néctar da flor (http://www.nectardaflor.com.br/)

~* Patty: Intensamente (http://intensamenteborboleta.blogspot.com/)

~* Milene: Cio & Cia (http://milenesarkis.blogspot.com/?zx=5ee76f88e40b7391)

~* Roberta: Só você, só você... Você pode! (http://gleicyrobertaaleixo.blogspot.com/)

~* Késia: Prelúdio do Porvir (http://preludiodoporvir.blogspot.com/)

~* Flor d Deus (http://lnmir.blogspot.com/)

~* Essência e Palavras (http://essenciaepalavras.blogspot.com/)

~* Vivi Patrice (http://monreveperdu.blogspot.com/)

OBS: qualquer dúvida podem me perguntar pelo blog ou por e-mail (hellen.queiroz@yahoo.com.br)

~* Selinhos abaixo*~



(mercimento)


(criatividade)



amigo)



Pra ler)



(Beautfull)



(Pare)



(Top)


(páginas)

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Pensando...



Pra não parar de caminhar
e pensar
Refletindo
um pouco em cada lugar...

domingo, 9 de janeiro de 2011

Quando chorar

"Há um tipo de choro bom e há outro ruim. O ruim é aquele em que as lágrimas correm sem parar e, no entanto, não dão alívio. Só esgotam e exaurem. Uma amiga perguntou-me, então, se não seria esse choro como o de uma criança com a angústia da fome. Era. Quando se está perto desse tipo de choro, é melhor procurar conter-se: não vai adiantar. É melhor tentar fazer-se de forte, e enfrentar. É difícil, mas ainda menos do que ir-se tornando exangue a ponto de empalidecer.
Mas nem sempre é necessário tornar-se forte. Temos que respeitar a nossa fraqueza. Então, são lágrimas suaves, de uma tristeza legítima à qual temos direito. Elas correm devagar e quando passam pelos lábios sente-se aquele gosto salgado, límpido, produto de nossa dor mais profunda.
Homem chorar comove. Ele, o lutador, reconheceu sua luta às vezes inútil. Respeito muito o homem que chora. Eu já vi homem chorar."

(Clarice Lispector)

As palavras de Clarice me fazem perceber como precisamos buscar ser fortes diante dos percalços da vida, para que no momento em que sua consequência inevitável seja a dor, possamos ter guardado exemplos de luta e superação. Não apenas que vimos, mas que vivemos.
Também reconheço, como Clarice, a importância de chorar, aliás de tanto que já chorei. Entretanto, um dia Deus me deu de presente um consolo inesperado: este texto. E resolvi agora retribuir o presente, de uma maneira que alcance alguém, que como eu, esteja precisando saber de alguns segredos que a vida tem. Acredito que Deus colocou no mundo algumas pessoas exatamente para esse fim: nos revelar que viver faz sentido, mesmo existindo a morte inevitável. Vivemos para sermos felizes, descubra isso enquanto há tempo!

(HCQF/jan-2011)