sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Guardados



Prometa o que quiser
Faça o que pretender
Não abuse nem de mim
Nem de você

Corra atrás do amor
Sinta o sonho correndo a frente
Não lhe ultrapasse as correntes
De vento forte ou brisa

Deixe o sol iluminar a curva
E se não for o lugar que imaginou
Pretenda correr riscos
Sem pular precipícios
Sem voar de asa-delta
Paraquedas
É mais seguro

Desejo que encontre segurança
Desejo que sonhe a vontade
Desejo que corra perigo
Do meu lado
Pra que te percas nos nossos melhores momentos
Do juízo e da razão
Pros braços da emoção
Do calor
Do carinho
Do afeto
Do amor

(HCQF - out de 2010)

sábado, 20 de novembro de 2010

Ao amigo (eterno)



 Ao amigo

Lembro-me de ti
E não pelo que fazias,
Lembro-me daqueles doces dias:
Uma linha tênue entre nós jazia.

Lembro-me também que fugias da loucura:
A razão te consumia.
Lembro-me, amigo, de te
Como nem imaginas.
Forço-me a perdoar-me
Por minhas faltas.

Lembra no fim?
Era eu que corria...
A razão me cegara.
Talvez não,
Talvez o próprio coração.

Nas conversas pela estrada admitia:
Sei onde levam as pegadas...
Lembro-me que sorrias,
Desacreditavas do que te falava.
Chorarias.
Choraste.
De ti me perdi na estrada.

Amigo, não te esqueças de mim
Nos bons momentos da caminhada,
Pois me lembro
Que nos meus piores momentos me carregavas.

Peço aos anjos que minhas orações te alcancem em teus lamentos,
Porque sempre serás,
Amigo amado,
Lembrado
Nos nossos melhores dias.

(HCQF, dez-2010)
_________________________

De volta com saudades de postar, visitar meus amigos e conselheiros...
Ainda não estou 100% aqui, como gostaria...
Mas está para ser dessa forma!


quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Violoncelo Vermelho





















Ainda não te conheço,
Mas reconheço-te de longe
E do meu lado és um estranho.
Bem de perto, corrosivo

Ácido forte, nocivo.

Imagina se eu tivesse te colocado
No lugar por ti temido.
Teria por ti morrido
Para colocar outra do teu lado.

Não és se quer arrependimento,
Senão rascunho colorido
Esbranquiçado.


Era pra ser um amigo.
A sorte te fez passado.
Quadro envelhecido
No compartimento empoeirado.

Travesseiro?
Cama, mesa, xícara, café?
Copo descartável,
Lenço de papel,
Mesa ao relento
Na chuva, no vento
Sem cuidado...


Retribuindo teu regalo
Ofertado sem sentimento
Em um futuro projetado de lamento.

Na penumbra sombria do pecado

Vermelho,
 regado a vinho e morango.
Do lado esquerdo do peito,
Gesso quebrado!


(Hellen Freitas)

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Contando/recortando















Só Por Hoje - Legião Urbana

Só por hoje
eu não quero mais chorar
Só por hoje
eu espero conseguir
Aceitar
o que passou o que virá
Só por hoje vou me lembrar que sou feliz.

Hoje já sei que sou, tudo que preciso ser
Não preciso me desculpar, e nem te convencer
O mundo é radical,
Não sei onde estou indo
Só sei que não estou perdido
Aprendi a viver, um dia de cada vez,
Só por hoje
eu não vou me machucar
Só por hoje
eu não quero me esquecer
Que há algumas pouco vinte quatro horas
Quase joguei, a minha vida inteira fora.

Não não não não
Viver é uma dádiva fatal
No fim das contas, ninguém sai vivo daqui mas
Vamos com calma!
Só por hoje
eu não quero mais chorar
Só por hoje
eu não vou me destruir
Posso até, ficar triste se eu quiser
É só por hoje, ao menos isso eu aprendi.

ATENÇÃO!!!!!!!!!!!!!

Parecem palavras tristes, mas devo advertir: não são...
São apenas o que deveriam ser: palavras para o amanhã...
Amanhã não é hoje, como bem sabemos.
Sabemos também que ainda não há muito o que falar sobre
o que ainda virá...
Virá a ser ou mesmo não...
Não se quer aqui fechar as possibilidades...
Possibilidades... Sobre isto que a postagem trata...
Trata do possível, impossível de hoje...
Hoje apenas...

(Hellen Freitas)

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Onde está a lógica da globalização?

Os homens estão cada vez mais conectados neste mundo globalizado, ainda que desconsiderem ou ignorem o que realmente os interliga: o fato de serem humanos e por tanto sociais.
O meio técnico-científico-informacional envolve as pessoas em uma rede altamente interativa: a globalização ou “mundialização” de idéias, informações, pessoas, negócios, etc. Essa Era pode ser exemplificada pela relatividade das distâncias, quanto à tempo e espaço, no estabelecimento de relações com/no mundo e até fora dele.
Entretanto, tal condição não se reflete nas características mais básicas das relações entre/com os seres no mundo, como se pode perceber nas noticias diárias de violência intra e extra-familiar, bem como nas brigas e até assassinatos no trânsito. Situações que demonstram aspectos de relacionamentos, nos quais a proximidade do afeto não aparece, mas sim o distanciamento da agressividade e do egoísmo de querer o mundo e suas oportunidades só para si.
Deixando as exemplificações por aqui, para não criar certa “indisposição” diplomática, ao tratar de posturas de governantes dentro e fora de seus países.
Se “o que você faz é uma gota no oceano, mas é isso que dá sentido a sua vida”, então, o que dá sentido a vida de um indivíduo são as escolhas que ele faz, isto porque por meio dessa decisão participa da construção da realidade da qual ele e tantos outros fazem parte, caracterizando a interdependência que faz do homem um ser tão humano quanto social.
Assim, não considerar que a teia tecida por cada pessoa se liga as teias das outras para formar a tão complexa rede que é o mundo em que vivemos, tira do homem a responsabilidade da sua função mais fundamental e constitutiva: a de ser social. Função que é a razão de não viver como animais de outras espécies, isolados, mais sim dentro de aglomerados de indivíduos: família, escola, trabalho, sociedade. Aglomerados estes que dinamizam enquanto (re)constroem a realidade, fundamentando a vida.
Desta forma, o ideal de construir um mundo melhor aparece como compromisso de um, enquanto parte constitutiva do todo. Parte essa que se não considerar tal responsabilidade, o todo e ela sofrerão as consequências.
Às novas gerações: bem vindos ao mundo globalizado. E não se esqueçam: atenção e cuidado!

(Hellen C. Q. Freitas)

sábado, 28 de agosto de 2010

Por que ás vezes parece ter mais curvas do que gostariamos em nosso caminho?

As curvas no caminho, meus olhos tão distantes,
Eu quero te mostrar os lugares que encontrei
Como o céu pode mudar de cor quando encontra o mar...
... quando encontra o mar!!!

Um sonho no horizonte, uma estrela na manhã
De repente a vida pode ser uma viagem...
E o mundo todo vai caber nesta canção
... nesta canção!!!

Vou te pegar na sua casa, deixa tudo arrumado
Vou te levar comigo pra longe
Tanta coisa nos espera, me espera na janela
Vou te levar comigo!!

Eu quero te contar as histórias que ouvi
E nas diferenças vou te encontrar
O amor vai sempre ser amor em qualquer lugar...
... em qualquer lugar!!!


Vou te pegar na sua casa, deixa tudo arrumado
Vou te levar comigo pra longe!!!
Tanta coisa nos espera, me espera na janela
Vou te levar comigo

Vou te pegar na sua casa, deixa tudo arrumado
Vou te levar comigo pra longe!!!
Tanta coisa nos espera, me espera na janela
Vou te levar comigo...
... pra longe!!!
(Vou te levar comigo - Biquini Cavadão)


OBS: Quero ir comigo pra longe dessa tristeza!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

...




















Time After Time
Vez Após Vez

Deitada em minha cama
Eu ouço o tic-tac do relógio e penso em você
Estou presa em círculos e confusão não é novidade
Me recordo de noites quentes, quase esquecidas
Trago um monte de lembranças

tempo depois
Algumas vezes você me vê
E estou caminhando bem a frente e você me chama
E não consigo ouvir o que você disse

Aí você diz, "Vá com calma, fiquei para trás"
E o ponteiro dos segundos volta atrás

Se você estiver perdido,
Pode procurar e vai me encontrar
Vez após vez
Se você cair eu te segurarei, eu estarei esperando
Vez após vez (2x)

Depois sua imagem desaparece
E a escuridão fica mais clara
Olhando pelas janelas
Eu me pergunto se você está bem
Aí você diz, "Vá com calma, fiquei para trás"
O tambor bate fora do compasso

Vez após vez...

Time after time
Smallville
Lying in my bed I hear the clock tick,
and think of you
caught up in circles confusion--
is nothing new
Flashback--warm nights--
almost left behind
suitcases of memories,
time after--

sometimes you picture me--
I'm walking too far ahead
you're calling to me, I can't hear
what you've said--
Then you say--go slow--
I fall behind--
the second hand unwinds

chorus:
if you're lost you can look--and you will find me
time after time
if you fall I will catch you--I'll be waiting
time after time

after my picture fades and darkness has
turned to gray
watching through windows--you're wondering
if I'm OK
secrets stolen from deep inside
the drum beats out of time--

chorus:
if you're lost...

you said go slow--
I fall behind
the second hand unwinds--

chorus:
if you're lost...
...time after time
time after time
time after time


"A cordei com o seu rosto...
Quanto tempo demora um mês pra passar...
A folha do calendário..."

(Biquini cavadão)

OBS: sem palavras...

até logo, pra não mais dizer adeus!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

O que faço distraindo a vida?




"Que faço distraindo a vida?
Vou traindo minha sina
Distraindo indecisão
Falo coisas que ás vezes não faço
Sou boneca sou palhaço
Ponto de interrogação..."
(Folia no meu quarto- O Teatro Mágico)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Você é o vento que leva meu S2


 (BANDA EVA - DUAS MEDIAS)


Fiz o vídeo dessa música que a adoro e me traz boas lembranças...
Não que viva a ouvi-la, mas quando ouvi essa canção (de esperança) me tocou profundamente como se de novo estivesse a frente de meus melhores dias...


" Vou levar duas medidas na balança
Caminhar entre avenidas do amor...
BOM te viver
doces momentos dessa estrada...
Ainda me lembro como se fosse hoje o adeus
Voltei!
Só vou querer ter você aqui
Sorrindo te dar meu amor assim
E claro que a vida ensina a gente a ser feliz...
Sou um barco a vela e você é o vento que leva meu coração..."

Até mais...

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Hawai!


Ouvindo Engenheiros e pirando!!!
Adoruh!
Olha só essa letra:

Depois De Nós - Engenheiros do Hawaii(Acústico MTV)

Hoje os ventos do destino
Começaram a soprar
Nosso tempo de menino
Foi ficando para trás
Com a força de um moinho
Que trabalha devagar
Vai buscar o teu caminho,
Nunca olha para trás

Hoje o tempo voa nas asas de um avião
Sobrevoa os campos da destruição
É um mensageiro das almas
Dos que virão ao mundo
Depois de nós

Hoje o céu está pesado,
Vem chegando temporal
Nuvens negras do passado,
Delirante flor do mal
Cometemos o pecado de não saber perdoar
Sempre olhando para o mesmo lado
Feito estátuas de sal

Hoje o tempo escorre dos dedos das nossas mãos
Ele não devolve o tempo perdido em vão
É um mensageiro das almas
Dos que virão ao mundo
Depois de nós

Meninos na beira da estrada
Escrevem mensagens com lápis de luz
Serão mensageiros divinos
Com suas espadas douradas, azuis

Na terra, no alto dos montes
Florestas do norte, cidades do sul
Meninos avistam ao longe
A estrela do menino Jesus
(Engenheiros do Hawaii)

Muito interessante como o Humberto decifra a vida.
De modo simples... Por meio do cotidiano...
Talvez, mas não só!
Como se não bastasse isso, aborda reflexões tão complexas para temas tão, de certa forma, desprezados em nossas reflexões diárias, que nos pegam desapercebidos e nos assustamos...
Mas nessa música aparece  a realidade nua e crua.
Ficam as perguntas de outra canção deste poeta:
"Aonde leva essa loucura?
Qual é a lógica do sistema?
Onde estavam as armas químicas?
O que diziam os poemas?"
(Armas químicas e poemas - Engenheiros do Hawai)

Até logo...

terça-feira, 20 de julho de 2010

Amigo...


No dia do amigo só consigo pensar em colo...
Não o óbvio: de quem grita aos quatro ventos que te ama...
Mas sim daquele que percebe a necessidade de, por vezes, te fazer enxergar o que você não quer, para que possas ultrapassar as barreiras que se impõem...
Verdade: acredito na amizade!
Acredito em tudo de bom que um ser companheiro, amoroso, sincero e cheio de boas intenções pode realizar na vida de outra pessoa...(Só assim!)
E pode mover montanhas... Pode atravessar mares... Pode fazer renascer das cinzas...
Pode ser o anjo que se espera, ou que nem se imagina que exista...
Um colo, é para mim o que representa o amigo... Não aquele que calado e conformado oferece seu corpo pro outro desabar, mas o que doa um tanto de paciência e ás vezes a própria consciência, pro outro se recostar, para então sonhar (sem iludir-se) e depois acordar... Mesmo que com os olhos inchados... Talvez até nem desejasse acordar...
Porém é também este colo o lugar certo para abrir os olhos para a realidade...Não sem chorar, se preciso for...Não sem espernear, mesmo com vergonha...Sempre desesperar...
É este o verdadeiro lugar onde a esperança mora... No colo manso e sereno das pessoas que acreditam, confiam em você... Mesmo que pareça o contrário, ou que ás vezes você o faça merecer a perda dessa confiança...
Neste cantinho você sempre será bem vindo pra chorar, sorrir, calar, espernear, sofrer, desesperar e sonhar. É isto que este colo faz a vida parecer : um sonho.
Se for um sonho ruim, nele na pior hora você acordará (pode confiar)...
Se por outro lado for um sonho bom, vai durar o tempo que for pra durar...Torça pra ser a vida toda!
Lembre-se, não me recordo quem disse isso, mas foi certíssimo em colocar: “melhor que ter um amigo é ser um amigo”. Quando você é reconhecido, isto não tem preço...
E se nunca chegar a ser, no fim das contas vai valer a pena ter vivido...
A todos Feliz dia do amigo!
Seja amigo de escola, faculdade, rua... ou ainda mãe, pai, irmão, irmã, primos...
Amores e amores...
Longe ou perto!
Não existe barreira pra amizade.
(Hellen Freitas)

"Me disseram que você
estava chorando
E foi então que percebi
Como lhe quero tanto, quero tanto..."
(Legião Urbana)

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Um lindo presente: a lembrança...

Quem sou...

(Sou super tímida)


(Mesmo quando me penteio meu cabelo não me obedece, pode?)

Gostaria de ser...

(Pra poder ser tão preguiçosa quanto gostaria, apesar de que tem gente aqui que diz sou tão manhosa quanto um gatinho)

Uma cor...

(A da paisagem que a janela da alma revela)

Me faz rir (muito mesmo)...

(Me deixa sem graça)

Me faz chorar...

(Tristeza de saudade, de mágoa, de ingratidão, entre outras coisas...)

Me faz chorar e sonhar...


"o dia mente a cor da noite
o diamante a cor dos olhos
os olhos mentem dia e noite a dor da gente..." (O Anjo Mais Velho - O Teatro Mágico)



"É fácil culpar os outros
Mas a vida não precisa de juízes
A questão é sermos razoáveis..." (A Minha Gratidão é uma Pessoa - Nando Reis)



"Tudo bem, até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Muito prazer, ao seu dispor
Se for
Por amor as causas perdias
Por amor as causas perdidas... (Dom Quixote - Engenheiros do Hawai)



"Sou fera, sou bicho
Sou anjo e sou mulher...
Mas sou minha só minha
E não de quem quiser..." (1º de Julho - Renato Russo)



"Vamos pedir piedade
Senhor piedade
Pra essa gente careta e covarde..." (Blues da Piedade - Cazuza)



"A minha casa é meu reino...
Mas eu preciso de outros sapatos
De outras roupas
Outros temperos
Para formar minhas idéias
E meus sentimentos
Eu sou a sombra de tudo que vejo
E minha casa é um espelho..." (A minha casa é meu Reino - Biquini Cavadão)



"Vamos celebrar a estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja de assassinos
Covardes, estupradores e ladrões
Vamos celebrar a estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso Estado, que não é nação
Celebrar a juventude sem escola
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião..." (Perfeição - Renato Russo)

(entre outros...)

Um pesadelo...


Maior sonho...

(Segredo)

Maior exemplo...

(Queria eu ter um S2 tão grande assim...)

Maior saudade...

(Acho que nuca vai passar...)

Melhor lembrança...

(Meu dengo)

Melhor cheiro...

(Adoro cheiro de chuva misturado com mato, não sei porque...)

Um pecado...


Um esporte...


(Dormir vale?)

Uma lembrança da infância...


(Exatamente sou Gêmea)

Um filme...


(Frase que nuca esqueci: Deus tem um plano pra cada pessoa... Desta forma algum dia tudo passa a fazer sentido, por esse motivo...)

Livros...









(entre outros...)

Um presente...


(um abraço... caloroso ou não... seja forte, de longe... o que importa é ser de S2 pra S2...)




(Também gostaria de recordar que este foi um lindo presente que ganhei do Anjo que nos prende em sua doce cela (quem não conhece visite é maravilhoso: A Cela De Um Anjo Caido http://anovacela.blogspot.com/)... Não sem a nossa total permissão. Super Obrigada! Amei mesmo ter sido lembrada, adorei o presente. Aliás ganhei antes mesmo de chegar até aqui, ganhei por ter lhe encontrado neste mundão que é a internet... Sou muito grata pela generosidade de lembrar de alguém que lhe admira, acredite... Até mais...)

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Sempre existe um caminho...


"Quando tudo está perdido
Sempre existe um caminho
Quando tudo está perdido
Sempre existe uma luz...
           Mas não me diga isso...

Hoje a tristeza
Não é passageira
Hoje fiquei com febre
A tarde inteira
E quando chegar a noite
Cada estrela
Parecerá uma lágrima...

Queria ser como os outros
E rir das desgraças da vida
Ou fingir estar sempre bem
Ver a leveza
Das coisas com humor...
    Mas não me diga isso...

É só hoje e isso passa
Só me deixe aqui quieto
Isso passa
Amanhã é um outro dia
Não é?...
     Eu nem sei porque
Me sinto assim
Vem de repente um anjo
Triste perto de mim...
     E essa febre que não passa
E meu sorriso sem graça
Não me dê atenção
Mas obrigado
Por pensar em mim...
    Quando tudo está perdido
Sempre existe uma luz
Quando tudo está perdido
Sempre existe um caminho...
       Quando tudo está perdido
Eu me sinto tão sozinho
Quando tudo está perdido
Não quero mais ser
Quem eu sou...
      Mas não me diga isso
Não me dê atenção
E obrigado
Por pensar em mim...
      Não me diga isso
Não me dê atenção
E obrigado
Por pensar em mim...

_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_
Adoro as letras do Renato! Essa procurei tanto...até que encontrei.
Interessante que parece que o título foge do tema da música...
Não sei explicar, mas os títulos dele me satisfazem, compreendo não sei nem como...
Parece tão singular e ao mesmo tempo responde a perguntas tão comuns?
Poesia ou remédio?
Na minha opinião, Luz...
Acredito que no mundo existe algumas pessoas que entendem o universo de maneira maravilhosa. Conheço alguns filósofos/poetas, homens e mulheres. Como já era de se esperar a arte de compreender o mundo (aí por minha conta essa terminologia) como toda arte, não faz qualquer discriminação...
É assim que vejo o que Renato escreveu: arte de compreender o caos que é o mundo e transformá-lo em tranquilidade... ou não...

terça-feira, 13 de julho de 2010

Minha sábia amiga.


Quando estava no 3º ano do ensino médio recebi das mãos de uma grande amiga um presente, que (confesso) não era dos primeiros em minha lista pessoal: um livro de Clarice Lispector, " A hora da estrela".
Nunca imaginei voltar a ele agora depois de formada, mas voltei. Interessante que não foi planejado... Minha mãe não encontrou algo no guarda-roupa, então resolvi procurar em uma gaveta velha, já fora da mesinha da qual fazia parte (o tal pertence).
Bem, ocorre que enquanto procurava encontrei dois pequenos cadernos com anotações tão simples quanto meu vocabulário naquela época (não que agora ele seja rebuscado - longe de mim a pretensão de ser erudita, ainda me falta um longo caminho).
A realidade é que tal era a simplicidade das lembranças ali guardadas, que por um momento me encontrei sentada no colo de minha linda e sábia vovó, único dos parentes velhos que convivi na infância, posto que os outros já não estavam em minha vida de corpo presente.
Incrivelmente, a simplicidade das sábias palavras dos antigos são tão fortes e diretas que não magoam pela velocidade com que chegam ao nosso coração. Embora até possam magoar quando essa é a mais tenra intenção.
E assim foi que me encontrei de novo com minha velha amiga, que era sim a melhor de todas, não por escolha, mas pela certeza dos seus atos simples, diretos. Não obstante nunca objetivos, sempre tão subjetivos quanto algo proveniente do plano emocional das nossas ideias.
Foi assim que me encontrei novamente com meus sonhos de não me deixar abater, de perseguir meus objetivos dias e dias e dias...
Aí que encontrei-me com Macabéia, personagem desajustada, discriminada, sofrida de Clarice, em pensamentos guardados a sete chaves, como meus tesouros...
Vivi a alegria de um presente inesquecível, que na tal época não sentira, agora então não apenas sinto, vivo neste aquele presente... E minhas sábias amigas que me aconselharam pelas palavras escritas: Lica, vovó, Clarice, Macabéia e Hilda.
E é assim que estou: feliz por ter reencontrado minha tão amada amiga: Macabéia.
Precisava deixar isso escrito, pois tenho uma mãe tão maravilhosa e guerreira - parece um pai espartano defendendo seu território, que me ensina (eu não aprendo não sei por qual razão) a ter tamanha garra. Quero aprender!
Mas a essa eu posso agradecer, enquanto a outra só em pensamento posso visitar, já não mais conversar e tocar... Hoje que não vive do meu lado, essa tal amiga de que falo, aprendi a fazer novas amizades, tão novas quanto passageiras (algumas).
Entretanto tenho ainda muitas verdadeiras amigas.Minha irmã, cujo nome divide com minha vovó, hoje é uma das mais preciosas. Assim como minha mãe, mas que querida, amada, respeitada e admirada.
Amo tudo o que tenho, mas como sempre me recinto. Amo ainda muito o que já não está de corpo e alma comigo. Sei que não é para sempre, acho que é por isso que não desespero.
Chorando agora, vou terminar com minhas tão prolixas colocações, por onde comecei: Clarice em " A hora da estrela". E ela nos diz: "Que cada um reconheça em si mesmo, porque todos nós somos um e quem não tem pobreza de dinheiro tem de espírito ou saudade por lhe faltar coisa mais preciosa que ouro - existe a quem falte o delicado essencial..." (p. 12)
Não estarei sendo de todo sincera se deixar a entender que este é um recado para os outros: é pra mim!
Caso achar que precisa disso lembrar, tome ele também pra você. Sinta-se à vontade...
(Hellen Freitas)

domingo, 4 de julho de 2010

Andando...



Lembrei de uma música linda do Diego Torres, músico mexicano cujo acústico conheci em meados de 2006. Não sei ao certo se foi ele quem escreveu, mas sua interpretação me atravessou hoje, porque estou me sentindo assim: Andando.
Andando e levando os olhos pelas paisagens que vejo e procurando me espelhar em algo. Não sei se estou conseguindo me ver, mas que estou encontrando lugares por que passei, isso é fato.
Vejo e penso, por que nada levei daqui?
Será que achei que não mereci?
Será que achei que não queria?
Não sei...
Visitei novamente e encontrei, aí sim, coisas minhas... Não sei se foi de todo bom...
Talvez quisesse eu estar ainda ali, porém não estou, e disso tenho certeza.
Então andando vou, prosseguindo pela vida e cantando, pois acredito que ao cantar se reza duas vezes.
Sei que preciso voltar a rezar. Rezar pro Deus em que acredito: Deus, Pai, Filho e Espírito Santo.
Rezo enquanto no seu colo Ele me carrega pelos caminhos...
*\_\_***\_\_ 8i8\_\_S2_/_/8i8_/_/***_/_/*

Andando - (Diego Torres)
    Andando
voy por la vida mirando
que por una canción
se puede aún morir de amor
y así
saber que tu voz llegará
a mi pobre corazón que ahí va.
    Andando
voy por la vida mirando
que a veces lo que dicen
no es igual a lo que harán
y así
algo tendrá que cambiar
en este mundo desigual.
    Creo aún en la voz
de las personas
con buen corazón.
   Porque sé
que no soy el mejor,
tampoco el peor...
Tan solo soy lo que soy
y es así...
No quiero fingir
no voy a mentir...
Tan solo soy lo que soy
y es así.
    Andando
voy por la vida mirando.
Buscando lo más simple
que es por donde
hay que empezar.
    Y así
tratar de llegar
a los demás
sin importar que hay detrás.
Andando
voy por la vida mirando.
La Gente que se pierde
de tanto buscar y andar.
Así Son muchas vidas
que vienen y van
y me pregunto donde irán.

Creo aún en la voz
de las personas
con buen corazón.

Porque sé
que no soy el mejor,
tampoco el peor...
Tan solo soy lo que soy
y es así...
No quiero fingir
no voy a mentir...
Tan solo soy lo que soy
y es así.
     Suelo imaginar un mundo nuevo
donde el frío acompañe mi andar
y el amor será en el invierno
el abrigo que me puede salvar.
      Unos se van yendo
otros van llegando...
Unos van corriendo
y otros cruzan caminando.
    Unos van riendo
otros van sufriendo...
Eso es lo que miro
cuando siempre voy andando
_______________
Linda canção!!!!!

domingo, 20 de junho de 2010



Esse vídeo é de uma linda música, da cantora Lia Sophia , cujas músicas falam pra mim sobre sentimentos universais: esperança, amor, solidão, etc. Assim, ao longo da música diversos desses sentimentos me atravessam e ao mesmo tempo passam deixando a certeza de que o tempo (relativo) é o remédio pra tudo. Não importa quanto dure a tristeza, logo vem a outra estrofe com novas possibilidades...
Com o titulo "Velhos Sonhos" ela nos acorda antigas e novas fantasias, estando ou não adormecidas, tendo sido ou não ainda sentidas: são nossas velhas conhecidas.
Por isso, nos diz: " Rios que levam podem trazer
só os que partem podem voltar
e voltando repartir novos sonhos trazer
Prazer, trazer....
os velhos sonhos continuam no mesmo lugar..."
Para mim, onde mora a emoção, no mais profundo e intimo do homem: o "coração".

Com vocês Lia Sophia, Velhos sonhos...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Folia no meu quarto - O Teatro Mágico


Oie!
Adoruh voltar aqui e conversar comigo e com vocês!
Saudade de postar... mas que bom que consegui!
de novo quero mostrar a arte da trupe que faz meu S2 feliz e saudoso. A música "folia no meu quarto" está direto no meu playlist... Linda letra, singela, doce, infantil, familiar e parece mesmo que é a infância que tive. Incrível como a arte consegue ser tão atemporal e universal.
OBRIGADA!
Com vocês, O teatro mágico do S2: "Folia no meu quarto"
_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*
Se água nos olhos do palhaço molha
Menina dos olhos abandonada
     Boneca de pano, de pena, chora
Quando água nos olhos da gente escorre
          Corre beirando boca, ribeirão
Dorme junto ao coração
Faz do peito cachoeira
     Leva, lavando, me deixando leve
Que a certeza não escorregue
Feito pedra de sabão
      Bola, vidro, janela, bronca, tapa
Dias e dias sem televisão
Fecho porta pra não escutar briga
E, também, pra briga não escutar minha canção
        Que faço distraindo a vida
Vou traindo minha sina
Distraindo decisão
Falo coisas que ás vezes não faço
Sou boneca, sou palhaço, ponto de interrogação
        Todo ser seria
Todo rio riria
Toda flor folia
Abajour pra escuridão
       Toda brincadeira começa com alegria
Mas o sino do almoço troca o riso por feijão
Quero mais careta no retrato
Quero mais folia no meu quarto
(O teatro mágico)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

pra sempre...

Oie!
Voltei pra contar que tenho sonhos...
Quero muito sonhar ainda mais longe...
Hoje rezando escutei uma de minhas orações favoritas: METAL CONTRA AS NUVENS.
Uma linda reflexão sobre a vida de todos os dias....Forte, nem sempre azul, ás vezes cinza, sempre infinita, com o recomeço diário do renascer, abrindo os olhos pela manhã...
__________________________________
METAL CONTRA AS NUVENS - Legião Urbana
Não sou escravo de ninguém
Ninguém senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz
     Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais
         Eu sou metal
Raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal
Eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal
Me sabe o sopro do dragão
          Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.
           Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra
Tem a lua, tem estrelas
E sempre terá
          Quase acreditei na tua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa
         Quase acreditei, quase acreditei
E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo.
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.
         Olha o sopro do dragão (4x)

É a verdade o que assombra
O descaso que condena
A estupidez o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais
          Tenho os sentidos já dormentes
O corpo quer, a alma entende
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos
      Eu sou metal - raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal: eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal: me sabe o sopro do dragão
           Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então

Tudo passa
Tudo passará (3x)
          E nossa história....
Não estará
Pelo avesso assim....Sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá...Vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos
O mundo começa agora, ahh!
Apenas começamos.
(Legião Urbana)

quarta-feira, 12 de maio de 2010


Música de Lia Sophia:
"Coração quase vazio agora apenas velhos sonhos
Coisas que você não quis mais
Dizendo ser águas passadas que não voltam,
Que não voltam, que não voltam...
Que não voltam ao cais
       Rios que levam podem trazer
Só os que partem podem voltar
E voltando repartir novos sonhos trazer
Prazer.., trazer...
      Coração quase vazio
Canto às estrelas esperando que a lua te faça lembrar
        Que o tempo sempre volta se a saudade em teus olhos brotar
        Os velhos sonhos continuam no mesmo
Continuam no mesmo, continuam no mesmo lugar..."
___________________________________
Obs: Essa música é de uma cantora maravilhosa (mas na verdade não sei se ela é a autora) que encanta em Belém. Apresentando Lia Sophia!Procurem saber, a música dela é demais, uma arte. Leiam, escutem, curtam!

segunda-feira, 3 de maio de 2010


Não me traga por favor,
flor a mais que seu amor,
pois as mais belas flores não se igualam ao seu riso
mais bela flor do meu paraíso.
Beijo-te como forma de agradecimento
e viro um beija-flor.
Desculpe-me pela falta de zelo
Meu preciso amor!

Este singelo poema, foi feito por três amigas na 5ª série, 1999.
Hellen, Hilda e Cybelle,
para suas mães amigas e guerreias,
às mães do mundo.

Eternamente


Oie!
Vim conversar um pouco... Estava só e procurei um abrigo/amigo, encontrei algumas lembranças, divertidas, escondidas, breves e outras infinitas...
Estava pensando em coisas que deixei de lado, ou talvez, guardei bem guardado, até demais.
Lindas recordações, doces sensações, algumas brincadeiras, muita complicação, dias interessantes.
Ás vezes me pego pensando em escolhas que fiz, em algumas das vezes me sinto feliz, outras frustrada, na maior parte das vezes saudosa.
Agora vejo a responsabilidade das decisões que se toma. Não sou o que se pode dizer de uma pessoa decidida, tento resolver meus problemas ás vezes compro brigas, mas sempre tenho uma razão. Nem sempre justa, nem comigo, nem com o outro, mas sempre, com boa intenção.
Chorei angustias... Agora percebo e dói meu peito!
Tive minhas razões, como diria “o menestrel”: “ às vezes é preciso perdoar a si mesmo”.
Não quero lamentar!
Compartilho com Nando Reis - mais que a admiração por Cássia e as letras lindas de muitas de suas canções (como lemas de vida), a ideia de que só se sente saudade do que nunca mais se poderá encontrar outra vez na vida. A falta é o que se tem do que se passa minutos, horas, dias, meses e anos sem ver, na esperança do instante do reencontro.
E como todo ser humano, tenho saudades de muitas coisas na vida, mas tenho mais do que sentir falta, e agradeço a Deus por isso.
Agora lembrei de uma linda canção do Cazuza, interpretada por Ney Matogrosso, um legitimo poema, que musicado, canta a recusa ao esquecimento. Dizem que ele fez pra sua avó, mas eu daria ao meu amor mais tenro, ou a minha linda e guerreira mãezinha.
Assim, tento fazer uma pequena homenagem às mãe, que são a raiz de toda história, seja ela alegre ou não: infelizmente ou felizmente.
TE AMO MÃE!
Nunca, jamais se esqueça disso.
************************
- Poema -
Eu hoje tive um pesadelo
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com seu carinho
E lembrei de um tempo...
    Porque o passado me traz uma lembrança
De um tempo em que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
        Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via um infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim (que não tem fim)
        De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás
(Cazuza)

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Filme Pornô - Tio Nelson



Essa é uma excelente banda paraense.
Vi esses meninos e adorei o som, no palco eles são demais também.
Estão buscando espaço em rede nacional, espero que consigam.
Sorte e continuem fazendo música de qualidade, pra divertir e fazer muito feliz.

PS: o som não tá muito bom por causa do arquivo raiz, mas dá pra ouvir espero que gostem.

... O teatro mágico



Não percam a oportunidade de pensar a vida de uma forma mais leve (tenho esse defeito de dizer o que não faço). Escutem o que essa letra diz.
Diga o que essa letra canta, pro teu S2 e depois me diz.
Diz se não é verdade?
Diz se não é melhor celebrar muito mais.
Ser a essência um pouco mais.

Por você, pra você
Seja sempre quem tiver que ser
Sem se esquecer
Do outro
Mais próximo
Que não se vê
O teu essencialmente
Seu  coração
( Hellen Freitas)

Seja Feliz!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Trupe realejo


Ontem mais uma vez vi o que pode ter de melhor nas criações de Deus: a arte. Foi lindíssimo o espetáculo que aqui em Belém pudemos ver. A trupe realejo, cujos conhecedores do Teatro Mágico bem sabem, exaltam o nome de uma das peças/canções dessa galera maravilhosa. Fazendo com que crianças de todas as idades se divertissem, chorassem e se emocionassem com eles.
Adorei o clima criativamente criado por eles, tão magestral como o teatro do S2.
 Se fosse em um quarto
Todo ser seria, todo rio riria
Toda flor folia, abajur pra escuridão...
Como era no meio da multidão: o tudo virou uma coisa só.
E abraçando a dor... Na soma dos desagravos, greves e desapegos,
Esquecem-se de si...
E quando cai o pano e o pano cai...
Começa o espetáculo que nunca termina: a imortalidade de ter vivido o teatro mágico da vida.
Senhoras e senhores ponha a mão no chão...
Sem horas e sem dores ponha a mão no S2...
Enquanto houver você do outro lado...
Só enquanto eu respirar:
Lembrar, lembrar e lembrar....
De ser essência muito mais...
e celebrar o teatro mágico, a trupe realejo...
Eu quero isso todo dia!
(Hellen Freitas)

sábado, 27 de fevereiro de 2010


Voltei e trago boas novas. Estou feliz, quer dizer em parte... Tive uma grande tristeza hoje com meu amor, mas confio nele e no seu lindo S2 e sei que ele irá superar, até porque estarei ao seu lado se de mim precisar.
A felicidade é porque consegui me formar em pedagogia e novos projetos estão aparecendo. Porém acima de tudo estou bem melhor, pois meu S2 está cheio do amor de Deus - expresso no rosto e no carinho dos que me cercaram. Me sinto grata e realizada (em partes) já que estou mais forte pra sonhar.
Quero voar de tanta alegria, mas só consegui ficar na terra ao lado dos meus amores.
Quero registrar aqui que amo os que me cercam com muita intensamente, seja amor de irmão, amigo, mãe, filha. Só que amo todos que me rodeiam. E também que é fácil amar na felicidade, mas o que me faz mais feliz é que eles demonstraram amor por mim na tristeza. Hoje retribuo. Grata eternamente! Grata, Pai do Céu!
(Hellen Freitas)

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Presente de S2 pra S2

foi essa moça linda, o anjinho que presenteou eu e minha família com O Teatro Mágico. Sou eternamente Grata Lalih. TE AMUH MIGA! E mais pode ser encontrado em seu blog Bordando sonhos. bjok Lala, cachinho de anjo, girando no sol. :*

O Teatro Mágico



Antes de dormir, preciso registra algo que me foi dado de presente: conhecer O Teatro Mágico. Por tanto só estou retribuindo! Obrigada Lalih (blog:bordando Sonhos)
Sabe quando se descobre algo maravilhoso, ou seja, "sem querer pegamos uma estrela baixa", pois é esta trupe, como se auto-denominam, são pontos luminosos, que enchem de delicadeza, mágica e brilho, a correria do dia-a-dia.
São músicos da melhor qualidade, atores maravilhosos, artistas circenses de chorar, rir e se emocionar.
Misturam tudo de melhor (circo, sonho, mágica, música, consciência e vida) da melhor maneira e presenteam os ouvintes com lindos musicais, e cenas teatrais cantadas, declamadas em prosa e poesia. E dizem da melhor maneira o "Pratododia".
Assistir seus Espetáculos é experimentar um sonho acordado. Para não esquecer até que o último suspiro seja dado, quissa mesmo depois.
Pra quem, como eu acredita que o paraíso é o que se acredita em vida que seja. Pra mim é: "O Teatro Mágico, todo dia", isto é, "teatro mágico só ás vezes, vim aqui revindicar eu quero isso todo dia". Então, diria Anitelle:














"E quando o nó cegar
Deixa desatar em nós
Solta a prosa presa
Luz acesa
Já se abre um sol em mi maior
Eu sinto que sei que sou um tanto bem maior."
Pode ter certeza disso: BEM MAIOR!
Eternamente grata, Cachinhos de anjo.

Pensando na vida...


Hoje visitei alguns Blogs e, novamente, me encontrei com o que mais gosto em mim: o medo de me perder.
Não estou falando de morte, pura e natural. Estou falando de fazer do próprio ser um caixão, de si. Estou falando da insensatez de não buscar se conhecer, nos limites mais profundos da alma.
Oscar Wilde mais uma vez me aparece pra dizer:
“Amar a si mesmo é o começo de uma aventura, que dura a vida inteira”.
Perder-se a si mesmo, antes de tudo, é perder a vida, pois não se amar faz as coisas ficarem insípidas, inodoras, incolores, mas diferente da água, venenosas e fatais.
Não sei se sou a pessoa mais apropriada para dar conselhos, porém quero ser tão útil para alguém como foram as palavras lidas por mim há alguns minutos. Para tanto, devo lhe dizer: “ Se pra viver é preciso se arriscar, arrisque-se a conhecer o tanto de vida que existe em você. Perca-se nos seus labirintos mais obscuros. Remova, sempre que puder ou quiser, a poeira dentro do porão escuro, que ás vezes chamamos de coração. Peça que a força dentro de você possa esmorecer quando preciso, lutar só quando não puder evitar, e chorar, mas chorar, de dentro pra fora, para aliviar e de fora pra dentro, para lavar.” Até logo!